INÍCIO

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Ellen Oléria-DF (2013)

(FOTO: REPRODUÇÃO/INTERNET)
Mesmo sendo uma das músicas mais gravadas da parceria de Milton Nascimento com Fernando Brant, Maria Maria (1976) faz sentido na voz de Ellen Oléria, a cantora e compositora de Brasília (DF) projetada nacionalmente ao vencer a primeira temporada do programa The Voice Brasil (TV Globo) em 2012, três anos após ter lançado seu primeiro CD, Peça (2009). Maria Maria figura no repertório de Ellen Oléria, o segundo álbum dessa artista que, além da voz naturalmente expressiva, mostra ter uma certa magia e uma ginga que reiteram o poder da raça. A produção de Alexandre Castilho e Torquato Mariano procura linkar Ellen Oléria, o disco, ao programa que tornou a cantora famosa. E não é por acaso que a releitura quase protocolar de Anunciação (Alceu Valença, 1983) abre o CD e os trabalhos promocionais do álbum posto nas lojas pela Universal Music no início deste mês de julho de 2013.

"ANUNCIAÇÃO"

Contudo, a personalidade forte de Ellen se esgueira por entre as frestas e acaba se impondo ao lado de sua banda Pretutu, colaboradora dos arranjos. Se a cantora tem autoridade para refazer o elo Brasil-África de Zumbi (Jorge Ben Jor, 1974), a compositora se insere na tradição do funk-soul nacional com temas autorais como Linhas de nazca (Ellen Oléria) e Geminiana (Ellen Oléria), ambos com grooves delinenados por metais. Em essência, Ellen Oléria faz música preta brasileira de que fala (com propriedade) sua antecessora Sandra de Sá. Contudo, na sua aquarela, cabe também a cor esverdeada de bela canção de clima bucólico, Córrego rico (Ellen Oléria), que remete ao som de Maria Gadú.
(FOTO: REPRODUÇÃO/INTERNET)
A balada Não lugar (Ellen Oléria) também expõe momento mais delicado de voz que vem do gueto e que, oito faixas depois, se aquece na alta velocidade de Testando (Ellen Oléria), tema trabalhado no suingue, com letra longa que parece ser carta de princípios dessa cantora cheia de ginga. Pela efervescente pulsação, Testando se alinha no disco com a releitura de Aqui é o país do futebol (Milton Nascimento e Fernando Brant, 1970), oportuna em tempos de Copas e protestos pelo fato de o Brasil estar perdendo o jogo em campos como o da saúde, educação e transporte. A faixa é aberta com beat box de Carlinhos Brown, que também toca percussão e faz o papel de MC ao atualizar no compasso discursivo do rap a letra em que Fernando Brant marca gol ao celebrar a paixão do brasileiro pela bola com toques políticos que faziam sentido já em 1970. Bola fora é a regravação de Nuvem passageira (Hermes Aquino, 1976), canção que destoa do tom do repertório do CD por expor fragilidade incoerente com a força que exala do canto de Ellen Oléria. Contudo, Ellen Oléria - o disco - deixa impressão positiva e a certeza de que a cantora é mais do que uma voz. Ellen Oléria faz o som, tem a cor e exala o suor dos que têm raça, manha e a estranha mania de ter fé na vida. Uma certa magia que a diferencia neste populoso país das cantoras.
FONTE BLOG NOTAS MUSICAIS
SAIBA MAIS NO SITE E NO FACEBOOK
BAIXE O CD CLICANDO NA CAPA

Nenhum comentário:

Postar um comentário